Malandra minha!

Postado por Cláudio Márcio | | Posted On segunda-feira, 30 de maio de 2011 at 04:25


A TANTO TEMPO QUE EU QUERIA TER...O humano busca, deseja viver muitas experiências na vida em suas múltiplas dimensões. No entanto, a nossa contemporaneidade é marcada por uma mercantilização não só de objetos, mas da fé e dos humanos. Logo, percebe-se uma crise entre o ter e o ser, onde o primeiro é mais valorizado (quase sempre) em nossas relações sociais.

Porém, falo de ter UM GRANDE AMOR COMO VOCÊ... Tão humana, tão inteligente, tão acolhedora, tão amiga, tão linda, tão parceira (ficaria aqui muito tempo dizendo tão... rsrsrs). QUE bom que você DEMOROU, MAS CHEGOU... E foi para valer! E foi para me alegrar! Foi para me fazer ir mais longe! Foi para me completar! Foi para me fazer sorrir! Foi para eu ser pleno!

Evidentemente que MINHA VIDA passou a ter um novo sabor, um novo sentido em cada toque, em cada abraço, beijo, embate teórico, (um querendo calar o outro... que maravilha! É necessária muita argumentação... malandrinha...rsrs). Daí, ao chegar na minha caminhada tudo se MODIFICOU...

A cada manhã agradeço ao Criador por ter uma esposa tão especial e querida. Posso dizer: EM MINHA espiritualidade aprendi a ser mais humano, a ser mais gente! Ou seja, o que quero dizer é que: VIDA encontro em ti! Em nosso casamento que hoje completa cinco anos, me parece que vivemos muito mais a dimensão do TUDO É O AMOR!

Desta maneira, confesso que NÃO ESPERAVA..., que sonhos realmente pudessem ser realizados. Mas, é assim que vivemos: a realidade e o sonho (a possibilidade de agir no e com o outro no mundo), de transcender... Pois, lá no mais íntimo do meu ser queria QUE UM DIA, VIESSE SER FELIZ ASSIM. Uma vez que NÃO HAVIA..., possibilidade aos olhos de tantos (as) CHANCE ALGUMA de um relacionamento tão abençoado e por que não dizer eficaz, frutífero como nossa deliciosa união.

Assim, não só sou realizado ao seu lado como seria capaz de comer suas (deliciosas) e minhas (horríveis) bolinhas de jenipapo, só para te fazer sorrir (é mal, não é? Rsrs) No entanto, sei que UM DIA olharemos nossos filhos e netos (Isto é, espero...) e diremos: valeu à pena! Valeu Criador! Logo, sou grato ao Deus da vida por VOCÊ SER A MINHA MALADRINHA. Sendo assim, quero terminar dizendo que ESTOU NA TUA e sei que também ESTÁS NA MINHA...

Um beijo de quem muito te admira e quer bem!

Abraço sócio-teológico, Cláudio Márcio