ALIANÇA BATISTA DO BRASIL "ROUBA" HINO OFICIAL DA IPU...E AGORA "JÃO"?

Postado por Cláudio Márcio | | Posted On sexta-feira, 18 de outubro de 2013 at 19:22

Se aproximando de terminar o curso de teologia no STBNe e, não conseguindo nenhuma comunidade para pastorear, brinquei um dia no corredor do seminário com o Rev. João Dias: "não tem uma igreja da IPU para eu ser pastor não?" Ora, a resposta foi sim. Naquele momento, começamos a orar, a estudar documentos da IPU e, através de processos de orientação e acolhimento, junto ao que se entende por sopro do Espírito, fui para IPU.
            Cabe ressaltar aqui que tenho laços fraternos com muitos irmãos da batista, principalmente alguns espaços que para mim são referência de reflexão intelectual-política-religiosa. Ou seja, abalizo a experiência da igreja Batista de Bultrins (PE), do Pinheiro (AL), Nazareth e Comunidade de Jesus (BA). Sim, essa também é minha turma!
            Desta maneira, fui participar do I ENCONTRO DE FORMAÇÃO DE LIDERANÇA DA ALIANÇA BATISTA DO BRASIL (em Feira de Santana). Experiência marailhosa! Se não fosse o suficiente rever amig@s, o construto reflexivo foi de alta qualidade. Ali, o texto bíblico era lido por perspectivas distintas, pois, este é um dos desafios que encontramos em cada esquina e ou praça da cidade.
            Confesso honestamente que espero por debates desta qualidade em nossa querida IPU. Tenho uma leve impressão que muito da dimensão progressista de nossa comunidade foi perdendo. Ou seja, como diria o velho Max Weber, o carisma com tempo tende a institucionalizar-se.
            Não estou arrependido de ter saído da Batista, não é isso! Sou grato ao acolhimento da IPU. Aqui é meu locus! SOU CRISTÃO: MINHA IGREJA É A IPU! Entretanto, rememorar nossa bela história e não produzir novos engajamentos, caminhar em novas fronteiras, para mim, se aproxima de uma religiosidade alienada.
            O processo de alteridade faz com que a gente se perceba no espelho do outro e, durante o encontro da Aliança Batista, sentir-me desafiado cada vez mais a refletir como ser uma comunidade relevante para os nossos dias. Sim, foram debatidas questões sobre o corpo, sobre as sexualidades, sobre maior diálogo com as brasilidades... Sim, o teólogo luterano André Musskopf nos desafiou com um pensar teológico gay, assim como, o diálogo inter-religioso se efetivou com a presença de representantes de religiões de matriz africana.
            Estamos prontos ou queremos isso? Sei que a IPU também possui sua pluralidade em cada comunidade e que muitos desses espaços estão debatendo esses e outros pontos... Minha provocação aqui é como perspectiva identitária que é sempre política, é disputa. Por isso, insisto: IPU, MOSTRA TUA CARA!
            O pastor Dijalma Torres (Batista) recebeu homenagem do governo federal como líder construtor de respeito das diferentes crenças, contra a intolerância religiosa e, a Aliança Batista agradeceu em um culto pela caminhada deste pastor.
            Sim, a ALIANÇA BATISTA está lendo, cantando, dançando e ressignificando pontos da nossa canção "JÃO" e, ao mesmo tempo que agradeço a Deus por tudo isso, devo perguntar o que esta canção representa para nós? Estamos deitando para dormir sem se perguntar: QUE ESTOU FAZENDO SE SOU CRISTÃO? Deveríamos em nossa honestidade diante do mistério que chamamos Deus refletir: AINDA SOU IPU?
            Encerro esta reflexão, já que comemoramos neste mês a Reforma Protestante em nossas comunidades, problematizando um dos seus princípios: IGREJA REFORMADA SEMPRE SE REFORMANDO?
Forte Abraço

Cláudio Márcio